Sony BMG terá que pagar US$ 10 mi por causa de “jabás” em rádios

NOVA YORK (Reuters) – A Sony BMG, maior empresa de música do mundo,
vai pagar 10 milhões de dólares para fechar um acordo numa
investigação aberta pelo Estado de Nova York sobre a maneira como a
gravadora influiu sobre as canções tocadas nas rádios. A informação
foi divulgada pelo secretário de Justiça Eliot Spitzer na segunda-
feira.

Segundo fontes familiarizadas com o assunto, Spitzer intimou as
quatro maiores companhias de discos do mundo — Universal Music
Group, EMI Group, Warner Music Group e Sony BMG — a prestar
informações sobre o chamado “jabá” nas rádios.

A investigação diz respeito à prática de longa data de se pagar a
promotores independentes para ajudar a fazer canções serem tocadas
nas rádios, um esquema conhecido pelo apelido de “payola” em inglês
e “jabá” em português.

Pelo acordo fechado pela Sony BMG, a empresa concordou em deixar de
fazer pagamentos a estações de rádio para ter suas músicas tocadas,
disse Spitzer.

Num briefing para a imprensa, Spitzer disse: “Nossa investigação
mostra que, contrariando a expectativa dos ouvintes de que as canções
são escolhidas em função de sua popularidade e seus méritos
artísticos, o tempo de exposição das canções frequentemente é
determinado por pagamentos sigilosos feitos às estações de rádio e
seus funcionários.”

Spitzer também enviou intimações judiciais a algumas empresas de
rádio, como a Clear Channel Communications, a Infinity Broadcasting,
da Viacom, e a Cox Radio. Todas as três proibiram o uso de promotores
independentes.

Indagada sobre o assunto, uma representante da EMI falou de uma
declaração feita pela empresa em seu relatório anual, confirmando a
investigação de Spitzer sobre a promoção de discos nas estações de
rádio de Nova York, e disse que a empresa está cooperando com a
investigação.

A empresa disse: “A EMI adota uma política escrita rígida que proíbe
práticas ilegais de promoção nas rádios. Ela não tem conhecimento
atual de qualquer razão para crer que o grupo poderá sofrer qualquer
impacto financeiro.”

A Clear Channel disse: “Estamos cooperando plenamente com o gabinete
de Spitzer e esperamos que seja constatado que nossas práticas estão
em conformidade com as leis.” A Infinity se negou a comentar, exceto
por afirmar que suas estações não empregam promotores independentes.
A Cox Radio não pôde ser contatada para ouvir seus comentários.

Originally published on HectorLima.com

primeiro trailer do V de Vingança

http://vforvendetta.warnerbros.com/

parece muito muito bom.

pena que o roteiro dá a entender que
mais uma vez adaptaram mal uma HQ
do Alan Moore, roliudezando as
motivações terroristas do V e deixando
a Evey mais tough girl, entre outras
coisas ‘inglesas pra americano ver’ que
essa resenha do roteiro mostra

mas ainda assim tem o potencial de
ser o filme pop mais importante dos
últimos tempos pelo contexto político…
se os irmãos Washowsky não cagarem tudo.

e aqui no eBay tem uma das máscaras autografadas pelo ilustrador do gibi, David Lloyd, um brinde a quem foi ao painel do filme em San Diego.

Originally published on HectorLima.com